Oficina Inkscape

Sem dúvidas foi a melhor oficina! Pelo menos a que mais me divertiu e estimulou, baixei o programa e até usei para outras finalidades. Enfim, resolvi me aprofundar mais nesse software e descobri que o Inkscape é um fork (um derivado) de um projeto chamado Sodipodi. Foi iniciado em 2003 por Ted Gould, Bryce Harrington, Nathan Hurst e MenTaLguY com o objetivo claro de criar algo que completo e direcionado para o standard SVG. Desde então o seu desenvolvimento tem sido cada vez maior devido ao facto de a equipa que o desenvolve ter crescido com inúmeras participações da comunidade. Apesar das decisões importantes serem ainda tomadas pelos fundadores a verdade é que muito do desenvolvimento tem já sido feito por outros programadores.

Algumas funcionalidades básicas do software:

  • Permite criar objetos de vários tipos, desde simples quadrados, retângulos, círculos, textos, estrelas e espirais até objetos de desenho livre através das suas canetas. Estas canetas para além de produzir os desenhos exatos que utilizar faz, ainda permitem definir níveis de suavização automaticamente para que o resultado seja mais apelativo (por exemplo, suavização que remove curvas tremidas);
  • Possibilita a produção de objetos tridimensionais, preenchimentos dos objetos em degrade ou através da padrões, linhas e sprays com padrões (diferentes pontas de canetas, por exemplo) e conetores entre objetos para criar diagramas;
  • Permite editar o posicionamento dos nodos que definem os objetos e ainda o seu comportamento (se bicudo ou arredondado por exemplo).
  • Permite exportar os desenhos para muitos tipos de ficheiros e ainda permite exportar apenas partes dos desenhos ou subconjuntos de objetos;
  • Tem um sistema de camadas que pode ajudar muito na estruturação dos desenhos. Para além de possibilitar focar o trabalho apenas em certos aspectos dos desenhos esta funcionalidade pode ser perfeita para computadores mais lentos consigam trabalhar em desenhos complexos, pois podemos esconder determinadas partes que consomem muito processamento.

Agora, algumas funções mais avançadas:

  • Possibilita o desenho vetorial automático através de uma imagem pixelizada. Ou seja, através de uma imagem/fotografia, você consegue, com alguma qualidade, obter um desenho vetorial. Este processo normalmente chama-se “trace bitmap”;
  • Permite adicionar desfocagem em qualquer objeto, o que significa que se pode produzir sombras de uma forma diferente mas com um potencial bastante interessante em relação a outras aplicações que apenas fazem sombras simples;
  • Permite facilmente posicionar um texto num caminho. Por exemplo, pôr um texto à volta de um objeto como na imagem à direita;
  • Permite realizar todas as transformações vetoriais comuns deste tipo de aplicações, nomeadamente “União”, “Diferença”, “Exclusão”, entre outras e ainda permite posicionar os objetos uns à frente de outros;
  • Por fim, traz uma quantidade enorme de filtros que pode aplicar aos objetos, desde filtros de adição de texturas, aplicações de iluminações, brilhos e sombras, até descofagens complexas e aplicação efeitos tri-dimensionais. De salientar ainda neste aspecto que para além da aplicação destes filtros, é possível editá-los e até omiti-los através de um gestor próprio para esse efeito.

Claro, que não tive cacife (ainda), para produzir uma imagem vetorial top, mas segue abaixo a fofa que fiz na oficina: denise

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s